Concreto protendido: O que é e suas características

O que é:

Concreto protendido consiste em um sistema que utiliza cordoalhas de aço (armadura ativa) para aumentar a resistência do concreto, o qual, possui baixa resistência a tração e ótima resistência a compressão. Com este tipo de concreto é possível vencer grandes vãos e oferecer economia e agilidade na execução, diminuindo sua fissuração e possíveis patologias.

Características:

A principal característica do concreto protendido para com o concreto armado seria sua armadura ativa (cordoalha), que sofre uma pré-tensão para ser alongada antes da aderência do concreto com o aço, ou seja, a cordoalha começa a agir desde o início da protensão. Já o concreto armado, temos a armadura passiva, que não sofre força para esticar o aço. No concreto protendido temos a utilização de armaduras passivas em sua composição, contudo esta armadura resiste para as tensões de tração, já a armadura de protensão vai agir para ajudar o concreto a resistir a forças/ tensões de compressão.

A protensão surgiu da necessidade do homem a realizar construções capazes de superar grandes vãos que necessitam de grandes cargas, possibilitando obras mais rápidas e com um menor custo. Podemos utilizar a tecnologia da protensão em: lajes (maçiças e alveolares), vigas, radiers, pisos industriais e contenção de terrenos.

No concreto protendido temos dois tipos de armadura para a tração, as pré e pós tracionadas. Na execução da pré-tracionada a protensão é esticada desde o início da execução, ou seja, primeiramente estica-se as cordoalhas/ fios e logo após é colocado o concreto e, esperasse a cura para soltar a protensão, assim, desde o início do ciclo a armadura está agindo para suprir as tensões. Já na armadura de pós tracionamento é ao contrário, a protensão só é gerada após a concretagem e cura da peça, com a utilização de macacos hidráulicos para nas extremidades da peça realizando o tracionamento.

O concreto protendido por ser utilizado de três formas: A protensão com aderência inicial, com aderência posterior e a sem aderência. Confira:

  1. Protensão com aderência inicial: A cordoalha se utiliza de apoios provisórios, geralmente nas formas e, é esticada/ tracionada antes do lançamento do concreto, tendo a ancoragem da armadura no concreto pelo processo de aderência.
  2. Protensão com aderência posterior: As cordoalhas são inseridas dentro de bainhas, esperasse a cura do concreto e após é colocado uma nata de concreto dentro da bainha, assim, fortalecendo a ancoragem também por aderência.
  3. Protensão sem aderência: Basicamente igual a segunda, contudo o que difere é que a nata de concreto é substituída por graxa, o que contribuiu para o não ressecamento da armadura e sua deterioração, as cordoalhas são fixadas em estrutura concretada junto com o concreto armado e, basicamente coloca-se uma tampa para não adentrar ar e impurezas na parte interior da bainha.

O controle da qualidade do concreto protendido não difere dos outros sistemas de construção, tendo como ações: calibração dos equipamentos, controle do concreto com a utilização de ensaios a compressão. As vantagens da utilização da protensão são inúmeras, mas podemos destacar: estruturas mais esbeltas, redução no número de vigas, pilares e aço, alto controle de fissuração, etc.

Contudo, como cada sistema possui suas desvantagens, podemos destacar: domínio da técnica, altos custos para os equipamentos para realizar a protensão, projetos precisos para não ter problemas com cortes e furos no futuro nas peças protendidas.

A Kerber Pré-Moldados utiliza o sistema de protensão em suas lajes alveolares para vencer grandes vãos com qualidade e segurança, otimizando o tempo de execução e os custos da obra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *